×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Cultura Guias Secretos

8 prédios emblemáticos de São Paulo e os arquitetos responsáveis por eles

By Giulia Trecco

prédios e seus arquitetos

Lista destaca arquitetos que projetaram edifícios como o Copan e o antigo Banespão.

Além de muita beleza natural, São Paulo também conta com várias beldades de concreto. Por isso, listamos oito dos edifícios mais emblemáticos da cidade e os arquitetos responsáveis pelos respectivos projetos.

+ Copan, Martinelli e outros prédios emblemáticos de São Paulo

Edifício Altino Arantes

Hoje apelidado de Farol Santander, o antigo Banespão é o terceiro arranha-céu mais alto de São Paulo, com mais de 160 metros. Sua abertura ocorreu em 1947, depois de oito anos em construção. O projeto original foi feito por Plínio Botelho do Amaral e adaptado pela construtora Camargo & Mesquita para ficar mais parecido com o Empire State Building, de Nova York.

Onde: Rua João Brícola, 24 – Centro Histórico

Antigo Hotel Hilton

Projetado por Mário Bardelli, o famoso prédio cilíndrico da Avenida Ipiranga foi inaugurado em 1971, com 34 andares e 104 metros de altura. Até 2004, abrigou o Hotel Hilton, que posteriormente se mudou para o bairro do Morumbi.

A construção conta com jardim de Roberto Burle Marx e piscina de Oscar Niemeyer, ambos tombados junto à fachada de mármore. Por dentro, foi totalmente reformado para abrigar gabinetes de desembargadores.

Onde: Avenida Ipiranga, 165 – República

Copan

O Copan pode ser considerado um dos principais símbolos de São Paulo. Principal projeto de Oscar Niemeyer na capital paulista, o edifício conta com 38 andares e 600 apartamentos. Além disso, a área comercial no térreo dispõe de 72 lojas, que incluem bares como o Fel e o Dona Onça.

Onde: Avenida Ipiranga, 200 – República

CCBB

O prédio de 1901 passou para as mãos do Banco do Brasil somente em 1923. Depois de uma reforma geral com projeto assinado pelo arquiteto Hippolyto Pujol, desempenhou papel de agência bancária até 1996, quando foi novamente revitalizado para dar lugar ao Centro Cultural Banco do Brasil. Hoje, além de vários espaços expositivos, conta com auditório, cinema, teatro, cafeteria, livraria e loja.

Onde: Rua Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico

 Edifício Itália

Segunda construção mais alta de São Paulo, o Circolo Italiano tem 46 pisos e é vizinho do Copan. Conhecido popularmente como Edifício Itália, foi projetado pelo arquiteto alemão Franz Heep e inaugurado em 1965. Sua fachada tem quatro mil janelas, que totalizam seis mil metros quadrados de vidro.

Publicidade

Seu 41º andar abriga o tradicional Terraço Itália, um dos restaurantes mais tradicionais da cidade.

Onde: Avenida Ipiranga, 344 – República

Conjunto Nacional

De autoria do arquiteto David Libeskind, o Conjunto Nacional foi erguido em 1956. Na época, era um dos únicos grandes edifícios da Avenida Paulista, que ainda era uma área predominantemente residencial.

O complexo reúne vários tipos de comércios e serviços: drogarias, lojas de roupas, sorveteria, livraria, academia e um cinema (o Cinearte, fechado em 2020 por falta de patrocínio).

Onde: Avenida Paulista, 2073 – Consolação

Hotel Unique

Entregue em 2003, o Hotel Unique é o edifício mais jovem desta lista. O projeto do arquiteto Ruy Ohtake se destaca pelo formato peculiar, que lembra um barco. Em seu terraço funciona o Skye, um dos bares mais descolados da capital.

Onde: Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 4700 – Jardim Paulista

Edifício Martinelli

Inaugurado em 1929 e concluído em 1934, foi o primeiro grande prédio de São Paulo, com 30 pisos. O arquiteto húngaro Vilmos Fillinger assinou a construção, que botou medo em muita gente que achava impossível um edifício tão alto se manter em pé. Hoje, além de abrigar alguns órgãos públicos, vai servir como observatório.

Onde: Rua São Bento, 405 – Centro Histórico

+ Artacho Jurado: o não-arquiteto responsável por alguns dos prédios mais icônicos de São Paulo