×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

Pastel de feira: patrimônio gastronômico de SP

Giulia Trecco Giulia Trecco - Editora | São Paulo Secreto

pastel de feira

Uma das maiores paixões culinárias do paulistano, com certeza, é o pastel de feira de rua. Qual o seu sabor favorito?

Pastel de feira é mais do que uma paixão, mas uma tradição dos paulistanos. O quitute é um clássico e a cara de São Paulo, principalmente quando combinado com o caldo de cana.

Tirar um dia da semana para almoçar pastel virou uma tradição antiga na cidade. Se antes acompanhávamos as nossas avós na feira de sábado ou domingo a espera de comer um pastel, hoje, tiramos a hora do almoço para encontrar a feira livre mais perto do trabalho. Atualmente, as barracas oferecem não só apenas os clássicos sabores de pizza ou carne; mas possuem uma infinidade de sabores.

Veja também: 5 coisas que todo verdadeiro paulistano já comeu (ou deveria comer) pelo menos uma vez

pastel de feira
@ Portal Sabores
Mas, afinal, como surgiu o pastel de feira conhecido na capital?

De acordo com historiadores, o pastel que é feito por aqui, chegou ao Brasil em meados de 1890 pelos chineses. Porém, foi só com a imigração japonesa, a partir de 1940, que a receita ganhou notoriedade. Na altura, os imigrantes japoneses passaram a trabalhar em feiras de rua se misturando aos chineses e adaptaram a receita até chegar a que conhecemos (e adoramos) hoje em dia.

Publicidade

Veja também: 5 receitas super fáceis para fazer em casa e que são a cara de São Paulo

Foto de capa: Pastelaria Curitiba