×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
Gastronomia O Que Fazer

Vai um bauru? Conheça a curiosa história por trás do lanche nascido no centro de São Paulo

By Giulia Trecco

história do bauru

Com queijos, rosbife e tomate, sanduíche foi criado na década de 1930.

Erguido em 1922, bem no centro de São Paulo, o Ponto Chic é um dos bares mais famosos da capital. Nos primeiros anos de vida, recebeu celebridades como Mário de Andrade e Anita Malfatti. Contudo, a fase mais badalada só começou anos mais tarde, quando o local foi berço de um dos lanches mais famosos de São Paulo: o clássico bauru.

+ De mortadela ao bauru: 7 sanduíches mais famosos de São Paulo

Do acaso, um clássico

A história do sanduíche data de 1937. À época, o Ponto Chic tinha como frequentador Casimiro Pinto Neto, um radialista que estudava na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo de São Francisco. Entre os acadêmicos, era conhecido como Bauru, nome da cidade interiorana onde havia nascido.

Em uma noite, atrasado para uma partida de sinuca, pediu ao chapeiro da vez para montar um lanche diferente.

“Falei para abrir um pão francês, tirar o miolo e botar um pouco de queijo derretido dentro. Depois disso o Carlos já ia fechando o pão, eu falei: ‘calma, falta um pouco de albumina e proteína nisso’. Eu tinha lido em um opúsculo livreto de alimentação para crianças (…) que a carne era rica nesses dois elementos. Então falei para botar umas fatias de rosbife junto com o queijo. E já ia fechando de novo quando eu tornei a falar: ‘falta vitamina, bota aí umas fatias de tomate’. Este é o verdadeiro Bauru”, disse Casimiro em depoimento.

Eventualmente, um amigo, “Quico”, tascou um pedaço de seu sanduíche, aprovou, e gritou para o garçom: “me vê um desses do Bauru”. Em seguida, outras pessoas experimentaram a novidade e o nome pegou.

Publicidade

Patrimônio imaterial

O bauru foi elevado ao posto de Patrimônio Material do Estado, conforme lei de 2018 sancionada pelo então governador Márcio França. Autor do projeto, o deputado bauruense Celso Nascimento exaltou na época a importância cultural e econômica do sanduíche.

Deu água na boca?

Afinal, toda essa história te deu fome? Então não deixe de experimentar o tradicional bauru do Ponto Chic. Os chapeiros têm treinamento para manter o sabor da receita original, que leva quatro tipos de queijos (prato, gouda, suíço e estepe) e leves fatias de rosbife, além de tomate e pepino em conserva.

 

Onde: Largo do Paissandú, 27 – Santa Ifigênia

+ Onde comer no centro de São Paulo? Conheça os nossos favoritos