×

TIPO EM SUA PESQUISA E PRESSIONE ENTER

Carregando...
O Que Fazer

Sabia dessa? Assim como Londres, São Paulo já teve frota de ônibus de dois andares

By Giulia Trecco

Fofão ônibus dois andares

Os utilitários daqui também eram pintados de vermelho e o seu apelido era “Fofão”.

Quando se pensa em ônibus de dois andares, a associação mais comum é provavelmente à cidade de Londres. Por lá, os imponentes double-deckers vermelhos viraram um símbolo tão grande quanto cabines telefônicas ou o próprio Big Ben.

+ Confira outras 9 curiosidades sobre a cidade de São Paulo

Embora a experiência pareça distante, muitos paulistanos já tiveram a experiência bastante londrina de usar um ônibus do tipo. Tudo começou em setembro de 1987, quando a Companhia Municipal de Transporte Coletivo colocou 11 unidades de um novíssimo modelo de dois andares em circulação pelas ruas. No ano seguinte, a frota foi fortalecida por mais 26 unidades, todas pintadas de vermelho, inspirado no jeitinho londrino. Eles atendiam à linha 5111, em um corredor de ônibus que ia para Santo Amaro.

Os double-deckers paulistanos receberam o apelido “Fofão” por terem cantos arredondados. Com 4,3 metros de altura, cada um deles tinha capacidade para acomodar 112 passageiros.

Mas os problemas não demoraram a aparecer. A falta de planejamento viário fez com que os Fofões se enroscassem frequentemente nos cabos de força dos trólebus. Por conta disso, a frota inteira saiu de circulação em 1993, com os veículos vermelhinhos encontrando novos donos em leilões públicos.

Publicidade

O último dos Fofões

Dos 37 ônibus que compunham a frota de Fofões, apenas um ainda resiste. Ele faz parte do acervo do Museu do Transporte Público, que também guarda outras relíquias da história de mobilidade urbana do Brasil.

Fofão ônibus dois andares
Museu do Transporte Público

Tenha um Fofão você também!

Ficou interessado no ônibus de dois andares? O site da SPTrans disponibilizou um molde recortável para criar um Fofão decorativo. Legal, né?

+ Conheça a história do transporte coletivo em SP

Tags: história